Cervejas

A CERVEJA

A cerveja é uma bebida natural, gasosa, ligeiramente alcoolizada, resultado de uma fermentação alcoólica de uma infusão de cevada germinada sobre a ação de leveduras da cerveja, e aromatizada com lúpulo

HISTÓRIA

Desde a mais alta Antigüidade, o homem é engenhoso a substituir a água das bebidas pelas atraentes elaborações a partir de uma fermentação de grãos.

Sabe-se que o homem conhece o processo de fermentação há mais de 10.000 anos e obtinha nessa época, mesmo em pequenas quantidades, as primeiras bebidas alcoólicas. Especula-se que a cerveja, assim como o vinho, tenha sido descoberta acidentalmente, provavelmente fruto da fermentação não induzida de algum cereal. Afirma-se que a descoberta da cerveja se deu pouco tempo depois do surgimento do pão.

Dentro da Antiguidade, vários autores antigos, vão remontando suas invenções no oriente, vinte séculos antes da era cristã. Ao país dos faraós onde se chamava vinho de cevada, a cerveja Egípcia se preparava de uma mostarda de cevado as vezes açucaradas, por adição de data. Eles tinham as cervejas escuras e as claras, das cervejas fortes chamadas de “hag” e as cervejas mais leves ditas “send”, a qual os médicos do Egito Antigo acreditavam na suas virtudes curativas.

Idade Média: Ligação a cultura da cevada, a fabricação da cerveja é feita dentro de um quadro familiar seguindo o ritual ancestral. Uma nova era começa quando os Francos chegam, a evolução das vilas e a construção dos monastérios.

De suas criações, conventos,colégios e as abadias instalam suas cervejarias dominais onde os

monges fabricam dois ou três tipos de cerveja.

Em termos técnicos, os monges deram uma maior importância ao uso do lúpulo, substância que tornava as cervejas mais frescas devido ao seu amargor natural e que, por outro lado, as ajudava a conservar. Ao dosearem a quantidade de malte e lúpulo, passaram a produzir uma cerveja com pouco álcool para consumo diário e uma cerveja mais pesada e alcoólica para ocasiões festivas.

Renascimento ao século XVIII: No decorrer dos tempos as autoridades MUNICIPAIS editam um numeroso regulamento destinado a regular os preços normais e defender os direitos dos consumidores garantindo a qualidade e a lealdade dos produtos engarrafados para a venda.

Época Moderna: Sobre o plano técnico as cervejarias não conhecem as grandes mudanças até a investigação industrial.

Apartar desta época as descobertas cientificas e tecnológicas, fonte do progresso das cervejarias a um passo de gigantes.

Dentro do domínio cientifico:

• 1871 Os trabalhos de Pasteur sobre a fermentação e as leveduras da cerveja.

A FABRICAÇÃO DA CERVEJA

 

ELEMENTOS DE SUA FABRICAÇÃO:

  • Água
  • Cevada grãos crus
  • Milho
  • Leveduras
  • Lúpulo

Água pura que chega até as cervejarias.

Cevada das cervejarias é diferente das outras, ela deve ser pobre em proteínas, mas um grande poder germinativo. Ela é utilizada em sua forma de malte; cevada germinada e torrificada.

Grãos Crus. Os maltes comportam em abundância proteínas que rendem uma estabilidade frágil à cerveja. As cervejarias então, usam os cereais crus, certamente grãos como (Milho, Arroz) que são pobres em proteínas e melhoram a estabilidade do colarinho da cerveja.

O lúpulo. Somente as flores fêmeas são usadas para aromatizar o mosto; 100 a 200 gramas de flores por hectolitros de cerveja terminada.

A colheita é feita em Setembro, flores passam por um processo para a retirada de óleos aromáticos e resinas amargas; (secagem, comprimidas em balões cilíndricos e conservados no frio, por vezes pulverizadas e peneiradas, eles são guardados em caixas para estancar de sua atmosfera e evitar sua oxidação).

A maltagem: A transformação da cevada em (5 etapas)

Calibragem: Para obter dos grãos de cevada propriedades e um tamanho uniforme, são garantias de uma germinação regular. As variedades da cevada utilizada são variedades ditas de cervejaria.

Germinação: Dentro da remoagem e da germinação permanece a uma temperatura constante de 17 graus durante 5 a 6 dias, nesta fase existe uma concentração de amidos que liberam os açucares (maltose) e o desenvolvimento enzimas.

Classes de cervejas

As cervejas de fermentação baixa (lagers) as cervejas de fermentação elevada (ale) as cervejas de fermentação espontânea.

A fermentação faz-se à baixa temperatura, com fermentos que são ativos na parte inferior do tanque de fermentação.As cervejas desta família são chamadas lagers.

São cervejas flexíveis, ligeiras e ricas. São mais populares ao mundo. Em família, encontram-se vários tipos de cervejas, como os pils, os dortmunders, os munchers, as bocks e a duplas bocks.

A fermentação faz-se a temperaturas mais elevadas, com fermentos que se desenvolvem na parte superior do tanque. As cervejas desta família são chamadas ALE.

São cervejas mais caracterizadas, em geral mais saborosas, vigorosas, alcoólicas e densas.

Nesta família, encontram-se também vários tipos de cervejas, como a Ale, mild Ale, strong Ale, Stouts e as Porters.

 

Barley wine: Significa vinho de cevada. Utilizado quando a taxa de álcool de uma cervejase aproxima da de um vinho, historicamente 11°C.

Cerveja de guarda: Na França, indica que a cerveja teve uma maturação mais longa. Não indica por conseguinte que conserva-se por muito mais tempo.

Amargo: Significa amargo. Identifica uma cerveja fortemente empregada de lúpulo.

Bock: Designa um lager bastante forte em álcool. Não indica um tipo de vidro.

Cream ALE: Uma mistura de lager e ALE. É uma cerveja bastante pálida e suave.

Duplo: Na Bélgica, significa uma cerveja vermelha ou morena com uma taxa de álcool superior.

Dupla bock (Dopplebock): Indicado na Alemanha um bock mais alcoólico. O seu nome termina quase sempre por “ator” (excoronator).

Dunkel: Termo alemão que identifica uma cerveja mais escura, morena.

Festbier: Na Alemanha, indica uma cerveja produzida para um festival.

Gueuze: É uma mistura de jovens lambics à velhos lambics.

Hell: Indica uma cerveja alemã mais clara, loura.

Bife: Cerveja alemã não filtrada.

Kellerbie: Palavra alemã que indica da lager não filtrada.

Kriek: Lambic perfumado com cerejas.

Lager: Cerveja de fermentação baixa.

Lambic: Tipo de cerveja de fermentação espontânea.

Licor de malte: Identifica uma cerveja com uma taxa de álcool mais elevada (de 5,6% para 8,5% alc. /voo.).

Märzenbier: Representa uma cerveja alemã sazonal produzida para o festival da cerveja, o Oktoberfest.

Pils: Cerveja que faz referência a pilsener.


 


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: